Localização, Internacionalização e Globalização

A localização envolve pegar num produto e torná-lo linguisticamente e culturalmente apropriado para o local de destino (país / região e idioma) onde ele será usado e vendido. A palavra “localização” é relacionada com “local”, um termo usado para referirmo-nos a um mercado-alvo específico. A localização envolve mais do que apenas tradução. As complexidades da localização podem ser reduzidas, prevendo-se as dificuldades e preparando-se para elas na primeira versão do produto. Quando isso é feito, as empresas economizam tempo e dinheiro e podem oferecer produtos de melhor qualidade. Esse processo é chamado de “internacionalização”:

A internacionalização é o processo de generalização de um produto para que ele possa lidar com múltiplas linguagens e convenções culturais sem a necessidade de re-design. Internacionalizar um programa significa lidar com exigências como os caracteres acentuados que serão necessários nas versões localizadas. Por exemplo, ao projetar botões “Cancelar” que são muito mais longos do que a palavra inglesa “Cancel”, eles permitem traduções mais longas em outros idiomas (“Annular” em espanhol), para que não haja necessidade de redimensionar o botão para exibir a tradução espanhola.

Globalização é o que é necessário fazer em termos de negócios para tornar um produto global. A globalização de produtos de alta tecnologia envolve a localização em depois da internacionalização apropriada, e do design do produto, bem como o marketing, vendas e suporte no mercado mundial. Poderíamos assim dizer que a globalização é um modo de organização que usa a internacionalização para se preparar para a localização.

Então, a tradução é parte da localização, ou vice-versa? A resposta depende da pessoa a quem perguntar. Os desenvolvedores de software argumentam que a tradução é apenas uma das muitas mudanças que um programa precisa passar para ser localizado. Os professores universitários de tradução, por outro lado, argumentam que a localização é apenas um nome extravagante para o ato de adaptar um texto para um público-alvo específico, algo que os tradutores fazem há muito tempo.

Fontes:

http://www.intercultural.urv.cat/media/upload/domain_317/arxius/Technology/BiauPym_Technology.pdf

Memórias de Tradução

As memórias de tradução são programas que criam bases de dados de segmentos de partida e chegada de maneira a que esses pares de segmentos possam ser reutilizados. Estas ferramentas são uma ajuda valiosa para a tradução, principalmente naqueles textos com termos e frases repetidos. Isto acelerou o processo de tradução e reduziu os custos e isso levou a uma maior procura dos serviços de tradução, no entanto isto não retira trabalho aos tradutores, é simplesmente uma ajuda. As memórias de tradução mudam a maneira como os tradutores trabalham, porque se lhe é fornecido uma base de dados de memória é esperado que siga a terminologia e fraseologia dos pares de segmentos incluídos nessa base em vez de escrever o texto usando a sua própria decisão terminológica e estilo. Permitem também que vários tradutores e revisores trabalhem na mesma tradução.

Os tradutores reusam traduções antigas quando clientes lhes pedem para trabalhar com sistemas de memória de tradução e depois reduzem as taxas do tradutor. Quanto mais segmentos iguais ou semelhantes existirem na memória, menos eles pagam. Os tradutores têm de trabalhar mais rápido e sem reclamações com segmentos já traduzidos que acaba por reduzir a qualidade. Quando uma maior qualidade é necessária, devemos rever os resultados das ferramentas de memória de tradução.

Os textos atualizados não são traduzidos do zero, mas sim pré-traduzidos com uma ferramenta de memória de tradução, traduzindo apenas as partes modificadas. O dever do tradutor é traduzir apenas os segmentos que foram modificados, uma vez que as frases não modificadas foram recuperadas da base de dados de memória. Noutros casos, o tradutor recebe pequenos excertos que não têm qualquer relação uns com os outros para traduzir no formato RTF. O tradutor nestes casos tem de traduzir às cegas, traduzindo frases sem fazer ideia do contexto comunicativo.

Fontes:

http://www.intercultural.urv.cat/media/upload/domain_317/arxius/Technology/BiauPym_Technology.pdf

O impacto das novas tecnologias no tempo e na qualidade da produção tradutória

Este artigo foi escrito por Érika Nogueira de Andrade Stupiello. Resumindo-o, este fala sobre a internet e as ferramentas como alteradores do tempo e espaço, pois agora tudo é mais rápido e mais acessível. A internet revolucionou a comunicação e por consequência a tradução pois é possível transmitir e receber informação eletrónica muito rapidamente e em qualquer lugar do planeta. As ferramentas eletrónicas, como por exemplo dicionários digitais, glossários digitais, memórias de tradução, programas de tradução automática e bases terminológicas, auxiliam a tradução e têm feito uma transformação completa na tradução de hoje em dia. Hoje em dia a comunicação entre pessoas que estejam longe é mais fácil, pois não precisam de estar cara a cara. Contudo, ainda existem pessoas que preferem contratar uma pessoa que tenham conhecido cara a cara e em quem têm confiança quando o projeto é de grande porte.

Os textos de hoje em dia são compartilhados e melhorados por outros tradutores. Estes por vezes já recebem o texto parcialmente traduzido por programas automáticos (poupança de custos), ou apenas traduzem novos trechos inseridos ao original já traduzido. São usados programas que aproveitam traduções anteriores relacionadas com a empresa e a sua terminologia, pois acelera o processo e diminui os custos para o cliente, o que resulta no aumento de demanda por serviços de tradução. São apenas ajudas em tarefas repetitivas e não substitutos. Às vezes o seu uso já é mesmo obrigatório.

A figura do tradutor é e transmissor de significados de uma língua para outra. Contudo a atenção é focada apenas no produto e quase nada no processo, como por exemplo toda a informação linguística e cultural que o tradutor tem de adquirir para ser capaz de traduzir determinado texto, e o tempo gasto nesse processo. Num mundo que valoriza o imediato, a tradução é algo que lembra que estamos mais próximos com os outros países, mas as línguas continuam a ser barreiras. A autora finaliza dizendo que os prazos demasiado curtos podem afetar a qualidade das traduções, e é apenas benéfico em relação ao tempo gasto e que a máquina pode estar a controlar os valores temporais, pois a contratação às vezes depende do domínio dos programas.

Fontes:

http://www.gel.org.br/estudoslinguisticos/volumes/37/EL_V37N2_16.pdf

Trados

4. Trados

Este programa é uma ferramenta de ajuda à tradução desenvolvida pela empresa alemã Trados GmbH e é considerada mundialmente como a líder do mercado em todos os níveis, sendo usada por mais de 250,000 tradutores profissionais assim como tradutores freelancers, instituições académicas, empresas entre outros.

Através do Trados pode criar projetos, e de seguida traduzir os documentos neles inseridos. O programa ajuda o utilizador através da memória de tradução, que guarda segmentos já traduzidos e faz posteriormente sugestões quando a frase seja suficientemente parecida com a anterior e usa também as bases terminológicas para sugerir a tradução dos termos sempre que eles apareçam no texto de partida novamente.

Uma das maiores diferenças entre o MemoQ e o Trados é que enquanto o Trados permite ao utilizador criar as suas bases terminológicas num programa independente e posteriormente adicioná-las ao programa principal, o MemoQ já tem essa funcionalidade integrada no próprio programa, o que acaba por torna-lo na opção mais prática e acessível na minha opinião. Outra das diferenças é a existência da ferramenta para criar um package no Trados, o que permite ao tradutor enviar tudo o que está dentro do projeto, incluindo memória de tradução e base terminológica para alguém e ao introduzir o email da pessoa, permitir que ela possa rever ou traduzir.

O que tivemos de fazer neste programa foi compor um texto com várias frases semelhantes relacionadas com o mesmo tema e posteriormente traduzi-lo. O intuito desta tarefa foi perceber em que situações é que o programa sugere segmentos e termos anteriormente traduzidos, e compreender a utilidade deste em textos repetitivos.

Na minha opinião o Trados também é uma boa opção para quem trabalha com textos repetitivos, pois ajuda bastante e poupa muito tempo em frases ou termos que apareçam várias vezes ao sugerir as suas traduções, deixando de haver necessidade de pesquisa ou esforço para conseguir algo que já pesquisou anteriormente. Tendo em conta a minha experiência com ambos os programas, prefiro o MemoQ pois tem tudo integrado, e é muito mais intuitivo.

Fontes:

https://en.wikipedia.org/wiki/SDL_Trados

MultiTerm

3. Multiterm

O MultiTerm é uma ferramenta de gestão de terminologia, desenvolvida pela empresa SDL Trados, e lançada em 1990. Foi inicialmente lançada como uma base de dados terminológica para tradutores profissionais. Pode ser usada por tradutores e terminologistas como uma ferramenta independente para gerir toda a sua terminologia ou pode ser integrada com o SDL Trados para melhorar a produtividade e precisão ao traduzir.

Este programa permite ao utilizador personalizar bases de dados com espaços descritivos, que proporciona mais informação sobre o termo, inserir ficheiros digitais e links aos termos, armazenar um numero ilimitado de termos num numero ilimitado de línguas, importar e exportar termos a partir de diferentes tipos de ficheiro como Microsoft Excel e integrar-se com o SDL Trados. Alguns componentes do Multiterm são:

  • Multiterm Desktop, permite ao utilizador criar, gerir e apresentar terminologia. Os termos podem ser adicionados e pesquisados numa variedade de línguas, gerando um uso consistente dos termos.
  • Multiterm Extract, uma ferramenta usada para criar glossários de terminologia usando documentos traduzidos já existentes assim como de textos bilingues e memórias de tradução. Isto é feito a partir de algoritmos estatísticos que examinam a frequência dos termos. Isto permite aos tradutores criar glossários sem ter de procurar pelos termos manualmente.
  • Multiterm Convert, uma ferramenta especializada que converte informação terminológica para o formato Multiterm XML. Esta aplicação é independente e funciona separadamente do resto do programa.

O que tivemos de fazer neste programa foi criar fichas terminológicas sobre 10 termos, e no mínimo 3 deles tinham de ter imagens. Tivemos de classificá-los gramaticalmente quanto ao género e número, e introduzir a definição, contexto e fonte da definição, imagem e contexto em ambas as línguas.

Na minha opinião este é um programa muito útil para quem trabalha diariamente com informação terminológica, pois tem à sua disposição uma variedade de informação organizada que lhe poderá poupar tempo quando necessária.

Fontes:

https://en.wikipedia.org/wiki/SDL_MultiTerm

http://www.uv.es/laurapo/wikibase/cas/Documentos/MTiXFirstSteps

Corpógrafo

2. Corpógrafo

O Corpógrafo é um programa que tem o propósito de analisar corpora com a finalidade de produzir recursos linguísticos em suporte informático, assim como compilar corpora e extrair e organizar conhecimento gerado a partir deles. O propósito do Corpógrafo é a construção de recursos informáticos reutilizáveis que representem uma mais-valia em futuros processos de pesquisa de informação, produção de documentação, ou ainda de auxílio a atividades em torno da linguagem como a tradução. Ao usar esta ferramenta o utilizador terá ao seu dispor ferramentas capazes de compilar e organizar o seu corpus pessoal e estudá-lo assim como pesquisá-lo de várias formas. Este encontra-se otimizado para a pesquisa terminológica, contendo ainda várias técnicas de extração terminológica e a possibilidade de organizar essa informação em bases de dados dedicadas. O site está divido em quatro grandes partes:

  • Gestor, onde temos as ferramentas de edição e pré-processamento dos ficheiros. Aqui poderá armazenar, organizar e gerir os corpora que criar. Para poder efetuar uma pesquisa rápida e eficaz, terá de preparar aqui todos os ficheiros que for introduzindo no Corpógrafo, ou seja, “limpá-los”, verificar se a divisão em frases foi feita corretamente, classificá-los e categorizá-los.
  • Pesquisa, onde se encontram-se as ferramentas que lhe permitirão pesquisar e estudar o (s) seu (s) corpus, assim como extrair informação genérica.
  • Centro de conhecimentos, onde estão as ferramentas que permitem gerir e organizar o conhecimento, assim como realizar pesquisas. O Corpógrafo possui uma zona onde é possível pesquisar e armazenar de forma sistemática toda a informação produzida através das pesquisas nele realizadas. A informação que o Corpógrafo permite armazenar e gerir é uma teia complexa de elementos que representam a formalização do conhecimento linguístico e conceptual de um determinado domínio. A terminologia é o elemento basilar desse conhecimento formal, pelo que neste momento o Centro de Conhecimento centra-se essencialmente na gestão das bases de dados terminológicas. O Corpógrafo permite armazenar sistematicamente em bases de dados criadas para esse efeito a informação relativa à terminologia que foi pesquisada usando as suas ferramentas. Estas bases de dados terminológicas permitem estabelecer relações entre os termos, criando uma malha conceptual multidimensional.
  • Centro de comunicação, onde podemos encontrar documentação existente sobre o Corpógrafo, enviar comunicações ao administrador do Corpógrafo e verificar as mensagens recebidas.

O que tivemos de fazer com este site foi inserir alguns textos paralelos de duas línguas sobre o mesmo tema, e depois o programa analisa os textos automaticamente e propõe possíveis termos. De seguida tivemos de selecionar os que achamos que eram os mais adequados, e analisá-los quanto à língua, aos autores, fontes, morfologia, definição e contexto.

Na minha opinião este programa é útil para qualquer tradutor que se depare com uma grande quantidade de terminologia no seu dia a dia. Este tipo de site ajuda a agrupar informação na qual o tradutor já trabalhou, para que no futuro se necessitar dela não haver a necessidade de fazer toda a pesquisa novamente. Acaba por poupar bastante tempo ao tradutor, que evita de gastar tempo em algo que já pesquisou anteriormente. Também é útil para quem queira compilar informação, analisá-la, organizá-la, pesquisá-la, estudá-la assim como extrair informação e conhecimentos a partir dela.

Pessoalmente ainda não dei muito uso a este site à exceção do trabalho que tivemos de fazer para a disciplina Tecnologias de Apoio à Tradução I, mas não nego que se no futuro estiver numa posição em que lide com muita terminologia poderei usá-lo pois revela-se um site muito útil e acessível para organizar todo o tipo de terminologia, que fica pronta a ser pesquisada sempre que o tradutor necessitar dela.

Fontes:

http://labclup.letras.up.pt/corpografo/docs/tutorial.pdf

https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/corpora

MemoQ

MemoQ

O MemoQ é um programa de ajuda à tradução desenvolvido pela empresa húngara Kilgray Translation Technologies e lançado em 2006.

Algumas das ferramentas mais importantes deste programa são:

  • Memória de Tradução: permite armazenar informação que nos possa ser útil posteriormente, e ao traduzirmos sugere esta mesma informação quando o texto de partida é suficientemente parecido ao segmento anteriormente guardado. Existe a possibilidade de importar assim como exportar memórias de tradução nossas ou de outras pessoas para o programa.
  • Livedocs: esta é uma ferramenta que permite inserir textos paralelos para nos ajudarem na tradução, e convém estarem organizados por línguas. Estes podem ser textos monolingues ou bilingues.
  • Base terminológica: guarda todos os termos introduzidos numa base de dados, disponibilizando uma lista de termos e a sua tradução. Esta pode ser editada e preenchida quanto à definição e à gramática em ambas as línguas, criando assim fichas terminológicas. Existe também a possibilidade de exportar e importar bases terminológicas.
  • Pré-tradução: serve para reintroduzirmos um texto de partida com mudanças ou se por alguma fatalidade tenhamos perdido o trabalho. Esta ferramenta procura tudo o que já foi traduzido e guardado na memória anteriormente, e reintroduz toda a informação na janela de edição.
  • Extração de termos: recolhe os termos mais usados tendo em conta a frequência. Considerando as predefinições, as palavras devem ter pelo menos 3 caracteres e devem ter sido usadas pelo menos 3 vezes.
  • Concordância: ajuda o tradutor a procurar os termos já inseridos na memória para que haja coerência no texto.

O que tivemos de fazer com este programa foi compor um texto com várias frases muito semelhantes e relacionadas com o mesmo tema e traduzi-lo no programa. O intuito desta tarefa foi perceber em que situações é que o programa sugere segmentos e termos anteriormente traduzidos, e compreender a utilidade deste em textos repetitivos. Fizemos também fichas terminológicas para 10 termos, que incluem a definição e fonte do termo nas duas línguas, e a análise gramatical quanto ao número e género.

Na minha opinião esta ferramenta ajuda muito o tradutor quando o documento se trata de um texto bastante repetitivo, ajudando também a que este seja coerente. Algumas das características que o difere de outros programas semelhantes é que é bastante intuitivo e prático de usar, e é compatível com múltiplas plataformas.

Apesar das várias vantagens que este tipo de programas oferece, ainda não lhe dei muito uso. Isto deve-se ao facto do tempo despendido a criar o projeto e guardar memórias de tradução ainda não compensarem, tendo em conta o tipo de traduções realizadas nas outras disciplinas que não são bastante repetitivas.